Virgindade para meninas e meninos: é tudo igual?

Perder a virgindade talvez seja um dos grandes, se não o maior, rito de passagem para a maioria dos jovens. Afinal, é uma memória que acabamos carregando para sempre, não é verdade?

Mas será que precisa mesmo ser tudo isso? Qual a diferença entre virgindade para meninas e meninos (se é que existe uma!)? O que você precisa saber para a sua primeira vez? Se tem essas dúvidas e algumas outras, esse artigo é para você! Vamos começar?

O que é virgindade, na real?

Segundo Anne Hodder, educadora do sexo, “não há uma definição médica ou científica de virgindade. Algumas culturas acreditam que a “virgindade” significa a penetração do pênis dentro da vagina, o que faz com que algumas pessoas acreditem que outros ‘tipos de sexo’ simplesmente não contam. Mas a gente sabe que sexo vai além disso afinal, se você deu a uma mulher um orgasmo usando apenas sua boca ou mãos, isso conta muito mais, certo?”.

Quer entender melhor? Dá um play nesse vídeo em que o Dr. Jairo Bouer explica melhor:

Ou seja, é muito importante entender: o conceito de virgindade ainda é muito vago. O mais importante que precisa ficar na sua cabeça é: sua primeira relação sexual não precisa, e não deve, ser um bicho de sete cabeças.

Qual o momento certo para perder a virgindade?

Agora, um ponto essencial nessa conversa: não existe uma hora “certa” para o sexo. Você deve perder sua virgindade quando quiser e quando estiver emocionalmente e fisicamente pronto para a experiência – nada de pressa ou pressão.

Não se deixe levar por conversas de amigos, ou mesmo insistência da pessoa com quem está se relacionando. Só você sabe a hora em que está pronto para ir além. Mas não esqueça: faça tudo de forma protegida!

Diferenças entre virgindade feminina e masculina

Em algumas culturas, o hímem intacto, sem estar rompido, é a estrutura que caracteriza a virgindade feminina. Mas o hímen é simplesmente uma membrana mucosa que resta depois que a vagina é formada completamente.

Ele pode ter diferentes formatos e tamanhos e pode ser eliminado em circunstâncias diferentes, como durante a equitação; ou mesmo se manter intacto mesmo após algumas relações. Neste segundo caso, geralmente se trata do chamado hímen complacente, que possui elasticidade considerável.

Já para os meninos, não há nenhuma característica física que identifique um homem como virgem. No final de tudo então, uma pessoa virgem então pode ser caracterizada por aquela que nunca teve alguma experiência sexual, seja ela de qualquer tipo.

Perder a virgindade dói?

Geralmente, meninas acabam sentindo mais desconforto na primeira vez do que meninos. E isso pode acontecer principalmente por conta da tensão. Muitas vezes, as meninas ficam tão tensas e nervosas, que acabam contraindo muito a vágina, causando dor na hora da penetração.

Se você estiver com medo ou qualquer tipo de ansiedade, não disfarce. Converse com o seu parceiro (a), fale o que está sentindo e identifiquem a melhor forma de lidar com essa tensão.

Sempre que possível, o ideal é conversar com um especialista. Para meninas, o ginecologista pode ser um grande aliado nesse momento, pois, além de verificar se está tudo bem, ele também pode tirar dúvidas sobre a vagina e o órgão reprodutor como um todo, e indicar métodos contraceptivos que vão te deixar mais protegida, tanto contra a gravidez, como contra doenças como HIV e HPV, por exemplo.

Para os meninos, existe um equivalente ao ginecologista das meninas, e ele se chama urologista. Infelizmente, poucos são os meninos que procuram esse especialista, mas ele pode ajudar na prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças no pênis e no sistema urinário, e em questões como ejaculação precoce e impotência sexual, por exemplo.

O que você precisa saber para a sua primeira vez

Temos duas dicas simples, mas que vão tornar a sua primeira vez inesquecível.

A primeira é: lembre-se de usar camisinha. Inserida no pênis, ou no interior da vagina, ela bloqueia a passagem de espermatozóides para o útero feminino, ao mesmo tempo em que impede a contaminação de um ou dos dois parceiros por micro-organismos que podem estar presentes em suas regiões genitais ou adjacentes e que causam infecções sexualmente transmissíveis.

Proteja você e o seu parceiro (a) e fiquem livre de preocupações!

A segunda, e talvez mais importante, é: conheça o seu corpo! Para ter uma boa primeira experiência sexual, é importante que você se conheça. Não tenha medo de se tocar e entender o que gosta e o que não. Entender o seu corpo é o primeiro movimento para uma vida sexual prazerosa.

E esse conhecimento vai te ajudar a relaxar e aproveitar melhor esse momento 😉